Origem do Nhoque e Suas Receitas Mais Comuns

A Origem do Nhoque e suas receitas mais comuns.

 

A origem do nhoque precede o hábito de comer nhoque todo dia 29 de cada mes, que é bem recente, mas a história do prato é antiga. Foi certamente o primeiro tipo de massa caseira, pois o ravióli , o espaguete e outras massas são posteriores.

O gnocchi (grafia original da palavra que significa ‘pedaços’ ou ‘pelotas’) é uma receita tradicional italiana que parece ter sido inventada em outro lugar. Algo semelhante a ela, era produzida no Oriente Médio desde os tempos romanos, e sua origem na Itália se deve à pobreza.

As antigas mamas italianas eram obrigadas a fazer mágica para alimentar suas famílias, isso sem ter acesso a um ingrediente básico para a sua culinária, que sobrava para os ricos: a farinha. Para conseguir dar de comer a todos, utilizaram restos de pão ralado, um pouco de farinha e água para criar um prato que era chamado, até a Idade Média, de maccheroni.

Hoje o nhoque é elaborado com várias farinhas, sobretudo pela de trigo, arroz e até mesmo com miolo de pão. Misturadas com água e sal, cozidas na água, criam um alimento delicioso,  mudando de sabor dependendo do molho que o acompanhe. A massa ainda pode ficar melhor se acrescentarmos a ela espinafre, queijo, castanha, carne ou peixe.

Mas foi o uso da batata, entre os séculos 16 e 17, que mudou a história do prato, tornando-se o seu supremo ingrediente.

Os sicilianos criaram uma receita famosa que usa farinha de trigo, ricota de ovelha na massa e uva passa, manjericão fresco e “pinoli” no molho.

Na Alemanha existe um prato assemelhado. É o “spätzle”, que acompanha caça ou carne assada. Também é preparado gratinado e servido em sopas. A Hungria repete a receita, mudando o nome para “galuska”, que se harmoniza com o “goulash”, um ensopado de carne conhecido desde o século nove. Ambos são feitos com farinha de trigo.

Uma receita, do chef francês Laurent Suaudeau, que passou a usar o milho verde, ficou famosa no Brasil.

Como a imaginação desconhece limites foram desenvolvidas receitas com batata-doce, mandioca e mandioquinha.

A massa também pode ser feita com algum tipo de recheio, sendo o queijo o mais comum, mas há versões com frutos secos, como a noz, amêndoa, castanha e avelã, sementes de frutas frescas como a romã, o bago da uva e cereais como a lentilha.

Visite a Fonte deste Artigo